segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Yayoi Kusama em Obsessão Infinita

Meninas,

Estou sempre ligada nas news do Instituto Tomie Ohtake, simplesmente pelas belíssimas exposições que constantemente se apresentam no local. A partir de hoje, poderemos conferir Yayoi Kusama, em Obsessão Infinita.



De caráter retrospectivo, trata-se da maior exibição de obras da celebrada artista japonesa já realizada na América Latina.


Segundo a reportagem do Estadão, depois de seu colapso nervoso na década de 1970 e da decisão de se internar em um hospital psiquiátrico no Japão, Yayoi Kusama "reencontrou sua voz" com a criação da instalação imersiva I’m Here, But Nothing, de 2000, uma sala mobiliada que remete a um cômodo banal de uma casa que é tomado, sob luz negra, por bolinhas coloridas. "Ela demorou para retomar sua autoconfiança, a fazer arte", diz Frances Morris, curadora, ao lado de Philip Larratt-Smith.



Kusama, desde a infância, sofre de transtorno obsessivo compulsivo e alucinações, que foram traduzidos em arte e na criação de uma identidade visual bem peculiar. Seus desenhos fizeram com que a artista, escapasse de suicídio.

Em entrevista ao GLOBO, Yayoi disse que por sorte, quando ainda era muito jovem, foi a um psiquiatra que entendia de arte. Desde então, ela luta contra sua doença; embora, no caso dela, a cura estivesse em criar arte baseada na doença. Desenvolver sua criatividade foi a sua cura.



Obsessão Infinita apresenta cerca de cem obras, produzidas de 1949 a 2012, incluindo pinturas, trabalhos em papel, esculturas, vídeos, apresentações em slides e, sobretudo, instalações.



Eu vou conferir, e vocês? Saiba mais no site!
Assim que passar por lá, compartilho mais detalhes dessa importante artista.

Beijos