quinta-feira, 17 de abril de 2014

Zuzu Angel, a mãe da moda brasileira

Meninas,

Hoje fui com uma amiga tomar um banho de história, na exposição de Zuzu Angel, no Itaú Cultural.



O projeto Ocupação, do Itaú Cultural, chega à 17ª edição com exposição, performances, mostra de cinema e encontros com estilistas, resgatando a memória de uma das mulheres mais singulares da nossa história, Zuzu Angel – Zuleika Angel Jones (Curvelo, MG, 1921 – Rio de Janeiro, RJ, 1976).



A moda de Zuzu utiliza referências da identidade brasileira. A menção está nos temas regionais, como as baianas e os cangaceiros, nos motivos das exclusivas estampas tropicais e nos materiais - além de rendas, bordados e pedras, contas de madeira, bambus e conchas. Tais matérias-primas e mesmo as referências aos personagens folclóricos eram, até então, associados ao mau gosto e impossíveis de compor um visual moderno e elegante.



Em 1966, apresentou 30 modelos durante o 2o Salão de Moda da Feira Brasileira do Atlântico e a coleção Soignée, ambos no Rio de Janeiro.


A causa de Zuzu se resumia a uma só bandeira: "quero o corpo do meu filho" - Stuart Angel Jones, torturado e morto pela ditadura militar aos 26 anos -
Suas armas para isso foram o desassombro, o atrevimento, a petulância, a imaginação e o humor. Ela metia medo nos inimigos e fazia rir os amigos. 


Zuzu transformou sua moda em protesto. Encontrou nela espaço para manifestar a dor e a revolta. Seus figurinos foram além do estilo e das referências: criou com eles uma linguagem. Ganharam contornos de censura, medo e morte.



"O mundo de Zuzu fiou mais sangrento. Ela passou a colocar em seus figurinos, as cores da morte, que são trágicas", diz Elke Maravilha, que compartilhou momentos pessoais e profissionais, desfilando suas roupas como modelo e acompanhando a amiga em sua busca incessante.



Em 14 de abril de 1976, Zuzu morreu em uma emboscada no Túnel Dois Irmãos. Em 1988, o Governo Brasileiro reconheceu o assassinato, que envolvia os militares.

Essa é um pouco da história dessa fenomenal estilista. Espero que tenham curtido e que visitem a exposição, com duração até 11 de maio de 2014!

Alice, querida, obrigada pela companhia!

Beijos